Rolezinho das séries (janeiro 2018)

Ah, férias! Momento de descansar, arrumar a bagunça do ano anterior, ler mais livros, ficar em dia com os filmes do Oscar e… ver mais de 5 horas de TV diariamente. Janeiro foi o mês para tirar o atraso dos tumultos do final do ano e colocar as séries em dia. Tinha muita coisa atrasada (é muita coisa no ar, né?!). Vamos aos destaques:

DARK (Netflix)

Séries com viagens no tempo quase nunca dão certo. Filmes, alguns. Mas essa série alemã (cara, é muito bom ouvir outro idioma que não seja o inglês de vez em quando na TV) fez tudo direitinho. Longe de ser uma obra-prima, a série é divertida, intrigante e tem bons personagens. E o mais importante é que consegue manter o pique até o último episódio. Só a última cena que me deu desespero para a próxima temporada que tem tudo pra ser ruim (ou não). Uma série de desaparecimentos em uma cidade da Alemanha e as relações conturbadas entre os persongens principais dão à liga para uma história que soa de terror, mas é uma ficção científica bem feita.

THE SINNER (Netflix)

Sempre gostei muito de séries procedurais (argh! Ainda não achei uma palavra melhor que essa) tipo CSI e Law & Order. O caso da semana, as investigações, as reviravoltas… Era muito bom ter isso toda semana. Mas aí veio a “Peak TV” e essas séries acabaram perdendo espaço para coisas mais sofisticadas (ficamos metidos, essa é a verdade). Eis que chega The Sinner que, pra mim, é um grande episódio de uma boa série policial. A série fez sucesso nos EUA e deu indicação pra Jessica Biel (exagerada) ao Globo de Ouro. Aqui no Brasil foi distribuída pela Netflix, o que garante audiência onde possivelmente passaria despercebida. Uma mulher (Biel), do nada, mata um cara na frente de um monte de gente e não faz ideia porque cometeu o crime. Só um policial (Bill Pullman) acha que tem caroço nesse angu. Oito episódios, rapidinho.

PARKS AND RECREATION (Amazon Prime)

Sim, uma das melhores comédias já feitas na história da TV chegou aos streamings brasileiros. Leslie Knope, Ron Swanson e a população peculiar de Pawnee e do departamento de parques e recreação da cidade estão disponíveis na Amazon Prime. Coloquei na lista porque estou fazendo uma revisão necessária da série. Foram 7 temporadas com muita coisa acontecendo e personagens que aparecem e desaparecem, mas que deixam sua marca. A série colocou a excelente Amy Poehler no patamar das melhores atrizes cômicas da TV americana e revelou ao mundo os talentos de Aziz Ansari, que mais tarde fez a ótima Master of None da Netflix, e do novo maior astro de Hollywood, Chris Pratt. Quem for começar a ver, só um aviso: a primeira temporada (curtinha) é bem ruim e tenta recriar o sucesso de The Office, mas a partir da segunda temporada, a série ganha personalidade própria e acha seu tom. Imperdível pra quem não viu.

THIS IS US (NBC)

A segunda temporada de This Is Us, a série mais “novelinha” no ar, tá melhor que a primeira. Tudo bem que o golpe é baixo. A série é milimetricamente feita pra emocionar o público. Mas não acho que isso seja um demérito aqui. A saga da família Pearson, assim como a vida de todos nós, caminha cheia de surpresas e reviravoltas. Só que quando o texto não é constrangedor e as atuações são bacanas, tudo fica melhor e a gente nem liga de estar sendo tão manipulado emocionalmente. Pois é, o estoque de lenços precisa ser renovado semanalmente com essa série. A PARTIR DESSE PONTO, SPOILERS. Essa temporada já teve de tudo: dependência química, aborto espontâneo, sessão de terapia familiar… Só não teve ainda a revelação de como foi a morte do Jack (Milo Ventimiglia), ainda o maior mistério da série. Os flashbacks da infância e da adolescência dos trigêmeos estão mais frequentes e nos fazem entender as decisões ruins e a personalidade torta dos irmãos Pearson. A primeira temporada está no Amazon Prime e a série é exibida aqui no Brasil no Fox Life.

THE ASSASSINATION OF GIANNI VERSACE: AMERICAN CRIME STORY (FX)

Essa acabou de estrear. Depois da excelente série anterior The People vs O.J. Simpson, Ryan Murphy agora vai a Miami para contar a história do assassinato do estilista Gianni Versace. O primeiro episódio é bem bom e já mostra que o tom da série vai ser bem diferente da anterior. O que faz sentido quando se trata de uma antologia. Ainda não dá pra saber muito, mas eu preciso destacar que o Darren Criss tá muito bem no piloto como o assassino Andrew Cunanan. Penélope Cruz faz a Donatella e o Ricky Martin, o namorado do estilista. Vamos ver no que vai dar.

***

Fora isso, The Good Place continua ótima e tomando outros rumos. Twin Peaks é a minha nova melhor série no ar (que foi ao ar ano passado, eu sei, não preciso do seu julgamento). Terminei a série antiga e cheguei na metade da nova temporada. David Lynch é gênio (dane-se a hipérbole) e prometo um post só sobre isso quando eu acabar. No mais, muita série volta da folga de fim de ano agora em fevereiro e 2018 promete tanta coisa boa que lá vai a gente ficar desesperado sem tempo de ver tudo. Por que as férias acabam, né?!

 

 

 

One thought on “Rolezinho das séries (janeiro 2018)

Leave a Reply to Carol Bastos Cancel reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s